176026-3

Cochilar durante o dia pode trazer benefícios para a saúde, confirma estudo

Aquele cochilo depois do almoço já faz parte de algumas culturas. A chamada “sesta” é adotada em diversos países, principalmente naqueles em que o clima quente é predominante, e muitas pessoas defendem os benefícios dessa prática.

No entanto, nenhum estudo tinha dado um veredito sobre as vantagens de tirar uma soneca durante o dia. Porém, no último mês, o periódico Heart publicou uma pesquisa que animou principalmente as pessoas que defendem a adoção dessa prática em outros lugares do mundo.

Segundo os pesquisadores do Hospital Universitário de Lausanne, na Suíça, tomar um tempinho para se aconchegar no colchão pode ser importante para evitar graves problemas de saúde. O estudo monitorou mais de 3,4 mil suíços no período aproximado de cinco anos, buscando entender os hábitos de sono diurno nessa população.

Entre os resultados mais surpreendentes, os pesquisadores encontraram uma relação entre a diminuição no risco de infartos, derrames e paradas cardíacas com o hábito de tirar um tempo para descansar no meio do dia.

Qualidade do sono interfere

Apesar de o resultado do estudo apontar o benefício da soneca durante o dia, os especialistas alertam que é necessário ter moderação. Segundo eles, deixar-se vencer pela preguiça e cair em sono de muitas horas em vários dias pode fazer com que os benefícios desapareçam ou até mesmo trazer malefícios para a saúde física e mental.

O hábito, portanto, vale apenas para aqueles cochilos curtos e casuais, com uma frequência média de uma a duas vezes por semana. Além disso, o estudo, que avaliou pessoas entre 35 e 75 anos de idade, não encontrou uma associação entre a diminuição nos problemas de saúde com o sono diurno na faixa etária acima dos 65 anos.

De acordo com os especialistas, o resultado já era esperado. Afinal, a idade pode trazer problemas de saúde mais graves, sendo que sonecas simples não devem surtir grande efeito.

Hábitos de sono durante o dia

A pesquisa levantou ainda uma frequência entre as pessoas que dormem por um curto período durante o dia. Um em cada cinco voluntários que participaram do estudo admitiram tirar cochilos diurnos entre uma a duas vezes na semana. Porém, mais da metade – 58% – declararam que nunca dormiram durante o dia.

Ainda segundo os autores do estudo, na comparação entre esses dois grupos, o risco de doenças cardiovasculares se mostrou até 48% menor para as pessoas que conseguem arranjar um tempo para um soneca vespertina.

Acorda Cidade

Sem Comentários

Deixe uma Resposta

*

*