170286-3

Com câncer raro, feirense luta contra o tempo para conseguir que estado forneça medicação de alto custo

A dona de casa Karolline Hadeydi, de 34 anos é moradora de Feira de Santana, está há dois anos lutando contra o tempo para conseguir um medicamento de alto custo e tratar um câncer raro e que não tem cura chamado mieloma múltiplo. Ela precisa tomar um remédio que custa 25 mil reais a caixa durante dois anos para que a doença não progrida.

Karoline, é casada, tem dois filhos, um de dois anos e outro de quatro anos e antes de descobrir doença trabalhava como bancária. Sem condições de trabalhar, atualmente recebe um beneficio do INSS que mantém algumas despesas de saúde e da casa juntamento com o salário do marido que é policial.

Ela informou ao Acorda Cidade que a família não tem condições de comprar o medicamento e por isso entrou com uma ação na justiça contra o estado para que ele seja fornecido. No entanto, o processo foi encaminhado ao juízado federal, depois chegou até a União e novamente retornou para o estado. Na última sexta-feira (5) saiu uma liminar determinando que o estado forneça o medicamento, ou então pague uma multa de 2 mil reais.

Temendo que o estado, pague apenas a multa e não forneça o remédio, a dona de casa está tentando de todas as maneiras arrecadar recursos para conseguir comprar o medicamento. Vários amigos estão colaborando e várias correntes de solidariedade se formaram com o intuito de que Karolinne consiga deixar a doença em remissão.

“Eu já fiz dois transplantes de medula. Mas, para consolidar o tratamento preciso tomar esse remédio durante dois anos. Tomei duas caixas, que consegui comprar através da ajuda das pessoas e de empréstimos que meu marido fez. Não temos mais condições de fazer empréstimos, chegamos ao limite. Estamos com uma vaquinha solidária e também esperando o parecer do estado depois da liminar da última sexta-feira”, contou.

Estado de saúde debilitado

O mieloma múltiplo provoca insuficiência renal, problemas nos ossos e alterações no sangue. Mesmo já apresentando algumas dessas condições de saúde, anemia, e muita fraqueza Karolline não perde o ânimo, nem a alegria e a vontade de viver. Ela credita que terá sucesso em seu tratamento e afirma que o mais quer é envelhecer ao lado do esposo e ver seus filhos crescerem.

“Costumo dizer que nada nessa vida é por acaso. Essa doença não veio para minha morte e sim para minha vida. Descobri o meu proposito de vida, que é continuar ajudando as pessoas e mostrando que Deus existe e que nada para Ele é impossível, vou ser curada”, declarou confiante.

 

Acorda Cidade

Sem Comentários

Deixe uma Resposta

*

*